REVISTA ELETRÓNICA DO TRIBUNAL DE CONTAS
ARQUIVO HISTÓRICO
 

A CARTA DE QUITAÇÃO DE 1596 AO TESOUREIRO MOR DA CASA DE CEUTA - “PELO QUE O DOU POR QUITE E LIVRE (…)”

As expressões “estamos quites" ou “ficar quite" são de uso corrente, mas sabia que estão profundamente relacionadas com a história do controlo das finanças públicas e, portanto, do Tribunal de Contas?

O Tribunal de Contas revela o extrato da Carta de quitação de 1596 a Rui Gonçalves de Castel Branco que serviu de tesoureiro mor da Casa de Ceuta de 18 de outubro de 1588 a 6 de junho de 1593, existente no Arquivo Histórico do Tribunal de Contas: CARTA DE QUITAÇÃO DE 1596 AO TESOUREIRO MOR DA CASA DE CEUTA – “PELO QUE O DOU POR QUITE E LIVRE (…)"